Elizio Santos

Devarim, devarim...

Textos

DOS MARES VIESTES...
Dos Mares viestes...
Ainda sem vestes, sem nem existir,
E atravessastes o mar incerto, e revolto,
Rumo a um Eu que nem imaginavas...

Oh meu amor, cujo "meo" coração afliges com placidez...
E o adoças com palavras suaves, de sussurros inaudíveis,
De conselhos canções que adoçam minh'Alma,
Das esperanças do beijo teu...

Dos Mares viestes...
Enfrentado um velhote senhorio dos mares,
A gritar: "Vas a casa a esa moza!"
"Vaia á túa nova casa, porque é hora de amar..."

Oh meu amor, que guardas em preguiceiro silêncio...
Todo o nosso amor entre dois mares, vigiados, preservados,
Por zelosos elementais das águas,
Enquanto eu? da terra, dos ares, te vigio nos mares...

Dos mares viestes...
Com vestes invisíveis de além, de além...
Dai-me tua boca morangosa em um beijo halitoso de lavanda,
E deixe que eu perca-me no frio calor de teu corpo meu amor...
Gustavo Miranda
Enviado por Gustavo Miranda em 05/01/2018
Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras