Elizio Santos

Devarim, devarim...

Textos

ESPIRIGÉLICO E ESPIRITÓLICO
 
     Espirigélico e Espiritólico, desafetos declarados desde o ventre de suas mães, encontraram - se, a contragosto, à beira da cova de Espiriblé, amigo em comum de ambos e falecido subitamente de caganeira.
     Lá em nois, onde não tem médico, só se morre de dois jeito: empanzinado ou cagado. Espiriblé morreu cagado.
     Morrer cagado faz pensar...
     "É..." pensou alto Espirigélico.
     "Apoise..." completou Espiritólico.
     Despediram - se do amigo em comum e finado jogando cada um a sua rosa; uma rosa branca e outra vermelha...
     Saíram conversando timidamente enquanto Espiriblé sorria sentado em uma lápide abandonada...
Gustavo Miranda
Enviado por Gustavo Miranda em 19/01/2018
Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras