Gustavo Miranda
Poesias em prosa.
Capa Textos Áudios Perfil Livro de Visitas Contato
Textos

MULHERES-MARAVILHAS EXISTEM; SÓ QUE ELA NÃO É A DAS TELONAS... E CHAMA-SE "MARIAS"!

 
     Bom dia! Mas bom dia mesmo!! era o que sempre dizia todas as manhãs, um colega de sala de aula do curso de Direito, ao adentrar a sala de aula.
Talvez você deva estar perguntando-se: Por que este cidadão reforçava o seu bom dia? Não bastava dar bom dia e pronto? Não... Para ele não... A pergunta é até esperada, embora a resposta possa ser dada através da já amplamente batizada frase, tantas vezes repetidas de modo popular, "São tempos líquidos!", inspirada no livro "Amor liquido" do sociólogo polonês Zygmunt Bauma, um dos intelectuais mais respeitados da atualidade.
     Realmente, se considerarmos que tudo hoje em dia é descartável, passageiro, supérfluo e superficial, realmente eu compreendo perfeitamente a necessidade de meu colega de sala de aula de ter que reforçar seu bom dia de modo a deixar claro que, seu bom dia não era só uma formalidade social de sua parte e sim, o desejo sincero de que o outro, tivesse um dia bom. Daí, a frase de efeito do momento ter tanto sentido...
     Mas, será que é de hoje que a sociedade está ou é liquefeita? Eu creio que não... Para apresentar a vocês o meu ponto de vista eu optei por abri o debate sobre o que eu chamo de Machofeminofascismo ou Feminomachofascismo, o que eu considero sinônimos. Mas, primeiro, deixe-me dar a minha definição do que seria estas idealizações sociais que eu racionalizei.
     O que eu chamo por estes nomes de dar um nó na língua é tão somente todo discurso limítrofe intelectualmente, excludente por natureza do próprio discurso, sectário, alienado e egoísta para dizer o mínimo. De toda maneira, ao afirmar isso, eu tenho a obrigação de mostra o por quê... E para isso, vou me valer de de uma personagem dos quadrinhos que está bonbando no momento nas telonas... A Mulher Maravilha!
Aliás, personagem esta que no momento faz corações e mentes dos "intelectuais de plantão".
     Antes de ir adiante, vamos fazer uma retrospectiva histórica desta personagem do mundo da ficção. Afinal de contas, como, onde, por quê e para quê esta personagem foi criada? Pois é... Você já parou para pensar que, seu atual ídolo do momento, estampado em camisetas por todos os lados como uma "ode" a liberdade, força e conquista realmente merece todos estes apupos? Não sei... não gosto de fechar questões, eu gosto de perguntas, não faço questão de respostas. Perguntas fazem crescer, respostas atrofiam cérebros.
     Mulher-Maravilha... A personagem não nasceu por acaso, e muito menso com a intenção de valorizar a mulher em sua plenitude de desenvolvimento social, intelectual e econômico.
Esta personagem tornou-se um ícone do universo feminino. assim como o super-homem, a Mulher-Maravilha não foi criação por acaso.
Vejamos o contexto histórico de sua criação, seu aparecimento... em 07 de dezembro de 1941, os Estados Unidos declaram guerra ao Japão, depois do ataque a base naval de Pearl Harbor.
     Nesse mesmo ano, a revista bimestral (dez. 1941/jan. 1942) All-Star Comics, número 8, lança a sua mais nova personagem... A Mulher-Maravilha, evidentemente, basta olhar seu vestuário e veremos os primeiros indícios de uma cultura machista.
     Linda de rosto, belos cabelos longos e negros, corpo impecável com seios fartos, quadris largos, shortinho sexy, uma blusa tomara que caia que nunca caiu, as cores da vitória, um laço... Este laço!
     Em resumo? a representação do poderio da sociedade americana no período da segunda guerra mundial com um único objetivo que é inerente ao capitalismo: A dominação das massas!
     O fato é quê, em seis meses após o seu aparecimento inicial, a heroína já possuía sua revista própria, tornando-se mais um instrumento da ideologia norte-americana, é um fato... ou um pesado fardo a ser Voltemos a seu vestuário, nele é visível que além das cores que fazem referência a bandeira norte-americana, temos a presença da águia americana que aliás, o simbolismo é sinal de coragem e força, além de, na mitologia grega, a águia é o símbolo de Zeus, o mais poderoso dos deuses do panteão dos deuses gregos. Aliás... Por que Zeus e não Hera? Pois é né... A águia é o emblema dos Estados Unidos!
     Ou seja, a Mulher-Maravilho surgiu com a finalidade de reforçar mais uma vez a ideologia de dominação puritana norte-americana, incutindo na mentalidade feminina da época de forma ainda mais massiva a ideia de tripla jornada na cabeça das mulheres e da supremacia do poder norte-americano.
     Mas parece que, ninguém se dá conta disso! Enfim, ir ao cinema para rir, se emocionar, sonhar, tudo bem... Mas se sua intenção é reforçar o seu discurso de maximização das lutas sociais das mulher, sinto muito em lhe dizer mas, é no mínimo... um contra-senso.
Enfim... arte é arte!
Gustavo Miranda
Enviado por Gustavo Miranda em 26/07/2017
Copyright © 2017. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Comentários
Capa Textos Áudios Perfil Livro de Visitas Contato