Textos

INACIANAS
Silencie a minha língua,
Enquanto ela passeia por teu corpo,
E sufoca a minha respiração entre tuas pernas,
Dai-me de beber de seu corpo...

Cega a luz de meus olhos,
Na escuridão de seus cabelos negros,
E drena as minhas forças através de teu ventre,
E consome-me com seu desejo...

Que os ventos surdos que veem do leste,
Soprem sobre nossos corpos quentes,
E tentem em vão esfriar o nosso amor,
Façanha que ódios alheios... fracassaram!

Gustavo Miranda
Enviado por Gustavo Miranda em 14/03/2018
Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários